domingo, 14 de julho de 2013

Hormônios e Exercício Físico (Parte 2)

Postado por: Letícia Carluccio
 
Continuando a relacionar o exercício físico com a secreção de alguns hormônios, agora falaremos sobre a insulina/glucagon e catecolaminas.
 
No exercício, à medida que os níveis plasmáticos de glicose no sangue vão diminuindo, ocorre estimulação da glicogenólise hepática pelo aumento gradual da concentração plasmática de glucagon. O efeito do exercício na concentração de insulina é o contrário do que ocorre com o glucagon, estando suas concentrações diminuídas no período de atividade. Os fatores que podem levar à diminuição da insulina são o aumento da velocidade de transporte de glicose para dentro das células musculares, a ação das catecolaminas e a liberação de glucagon.
A deficiência de insulina aumenta a utilização de gorduras como fonte de energia, ou seja, todos os aspectos da lipólise serão ativados. A enzima lipase hormônio sensível fica intensamente ativada, ocorrendo a hidrólise do triglicérides armazenados. Como consequência, os ácidos graxos serão liberados no sangue, sendo utilizados como principal substrato de energia.
 
 
 Os níveis plasmáticos de catecolaminas (adrenalina e noradrenalina) aumentam de maneira diferenciada.
A concentração de noradrenalina aumenta mais acentuadamente em taxas de trabalho superiores a 50% do volume de oxigênio máximo e a concentração de adrenalina só aumenta significativamente quando a intensidade do exercício passar de 70% do volume de oxigênio máximo.
A atuação em conjunto destes dois hormônios promove principalmente o aumento da taxa metabólica, a vasocontrição periférica (seguida pelo aumento da pressão arterial) e a bronquiodilatação, que permitirá o aumento da oferta de oxigênio para o corpo através do aumento da respiração.
Adrenalina pura!!
 
Veja aqui um texto que aborda as respostas fisiológicas do corpo quando há a frequência da secreção de  altas doses adrenalina (esse fato ocorre em praticantes de atividades muito radicais, como o paraquedismo, por exemplo)
http://reformadesaude.blogspot.com.br/2006/01/adrenalina-diga-no-essa-droga.html 
Muito interessante!!
 
Referências Bibliográficas:
MCARDLE, William; KATCH, Frank. Fisiologia do Exercício.7ªedição. editora Guanabara: Rio de Janeiro, 2011. p. 413-430.
FOSS, Merle. Bases Fisiológicas do Exercício. 6ª edição. editora Guanabara: Rio de Janeiro, 2000. p.427-450.
http://www.efdeportes.com/efd129/efeitos-metabolicos-e-hormonais-do-exercicio-fisico.htm
http://biodoexercicio.blogspot.com.br/2009/06/principais-hormonios-do-exercicio-parte.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário